O que é a Cultura do Estupro e a realidade do Brasil

Pronto, há um enorme copo azul cheio de água na mesa, já passei alcool gel com cheiro de perfume de bebê nas mãos, e só falta um colega aqui parar de falar tanto.

Já faz alguns dias em que o assunto da vez tem sido o estupro de uma moça por 33 homens.
E apesar de eu já ter pesquisado o suficiente a ponto de ter encontrado fundamentos que adicionam e retiram a culpa, das duas partes, não tou aqui pra falar se foi estupro ou não, se ela queria ou não, e etc.

Primeiramente eu decidi pesquisar sobre a “Cultura do Estupro”, que eu não fazia a mínima ideia do que seria, e achei a definição mais clara e concisa no site da Marie Clarie, com a definição dada pela ONU, que é: “Cultura do Estupro é o termo usado para abordar as maneiras em que a sociedade culpa as vítimas de assédio sexual e normaliza o comportamento sexual violento dos homens”. Em outras palavras, se um homem estupra uma mulher e a sociedade culpa a vítima, e não o agressor, existe a cultura do estupro.

E ai, você acha que existe ou não? Você parou pra pensar sobre isso? Sinceramente, quanto mais eu penso, mais confusa fico! Mas vamos lá, acompanhem minhas indagações:

1° Está mais que claro que os próprios bandidos repudiam esses dois tipos de crime: pedofilia e estupro. É certo que, um estuprador, ao chegar ao presídio, passa por bons bocados, pra não dizer outra coisa – geralmente ele é estuprado também. Dito isso, podemos ver que apesar de as pessoas estarem mais jogadas a esse mundo de vulgaridade e etc como se fosse uma coisa legal, ou da moda, esse crime é considerado um absurdo, uma tragédia, e etc, como realmente é.

2° Como já comentei, a própria sociedade – sem generalizar, claro – dissemina – por meio dos funks, exemplo – a destruição de valores que preservavam não só a mulher como toda a família e etc, e digo a família sim, porque vemos que o problema tem seguido um ciclo, que eu não sei explicar o ponto inicial, mas vou seguir esse exemplo: as meninas vão pro baile, dançam de forma sensual ao som de músicas com letras que mostram o corpo da mulher como um produto – ou pior, como um buraco, apenas -, ai elas conquistam os rapazes por pouquíssimo tempo, engravidam ainda com pouquíssima idade, e sem senso de responsabilidade alguma, continuam indo as festas, então os filhos crescem e acabam seguindo os passos da mãe, e o ciclo não se acaba – as meninas engravidam, não se valorizam, os meninos se tornam homens que acham realmente que as mulheres são buracos, apenas.

É triste que seja assim, mas é a realidade em vários locais do Brasil!

E é claro, é obvio que existem casos mais absurdos ainda de estupro de senhoras idosas, mulheres “mais recatadas” – digamos assim -, situações onde não há como a sociedade pôr a culpa na vítima, e ainda assim, põe. E há casos onde a mulher estava andando por aí de shortinho mostrando o bumbum e etc e etc, claramente vestindo-se para seduzir, e que acabou sofrendo essa agressão.

Nos dois casos, e em todos os outros casos, a culpa nunca será da vítima, NUNCA.
Mas, sinceramente, falando de coração, nosso país está numa situação tão triste, tão miserável, que nós temos mesmo que tentar de tudo pra nos manter a salvo!

Sabe, lembro de que quando eu era mais nova, eu tinha muito cuidado com as minhas coisas, enquanto que minha irmã Germanna, não tinha. E pior, ela não só se descuidava do que era dela, como acabava destruindo minhas coisas também – como usar uma blusa e manchar, etc. Quando isso acontecia, eu corria na mamãe e pedia pra que ela desse um jeito que mudasse minha irmã, e o que ela dizia era: “minha filha, eu vou fazer minha parte, mas se você achar que as coisas vão continuar assim, esconda o que for seu”.
É aquela velha solução que não é solução, mas que infelizmente, é a opção que temos! 

Eu AMO usar decote, já que sou bem provida de busto, mas como sei que a MAIORIA dos homens não se controlam em relação a manter os olhos nos meus olhos em vez de manter no busto, eu não uso. É triste? ÉÉÉÉÉÉ! Mas, estamos no Brasil, o que eu posso fazer?

Por fim, quero ressaltar que é direito da mulher decidir quem pode tocá-la ou não, e que nada do que ela esteja transparecendo pode mudar isso. Estupro sempre vai ser um crime, e um dos piores que existe. Mas vivemos em um país em que não há sempre o respeito, e que se nós queremos estar mesmo a salvo de pessoas tão doentes assim, temos de sacrificar mesmo a nossa liberdade, ainda que nem mesmo assim nós estejamos realmente seguras! Enquanto isso, vamos continuar lutando por uma vida melhor, pela liberdade que seja REAL, por um lugar onde não haja MEDO!

Espero ter conseguido passar de forma clara os meus pensamentos, e que não tenha ferido ninguém. Se você discorda de mim, relê meu texto e vai escrevendo notas sobre cada parte que você discorda, ai comenta aqui e vamos conversar! É sempre maravilhoso debater!

Bjbjbj!
AH! A ilustração do post é mais uma das incríveis obras do Felipe Guga!

 

 

 

Anúncios